Amin Rodor*

A salvação é baseada na graça, dom imerecido de Deus. Qualquer outro elemento, tal como arrependimento, reconciliação, regeneração, reforma, novo nascimento, ou santificação, não constituem a base da salvação. A base da salvação é a graça de Deus, estes outros elementos são, pela ação do Espírito Santo, resultados de nossa aceitação de sua graça e amor. Devemos entender ainda que a justiça de Deus, não é primariamente uma exigência, mas um dom. Não é o que Ele pede, mas o que Ele oferece.

Com frequência utilizamos a expressão “justificação pela fé”, mas se isto não for entendido claramente, tornamos a fé um outro tipo de obra. Segundo Efésios 2:8, “pela graça sois salvos, mediante a fé”. A graça é a base da salvação, a fé é o seu instrumento, ou o meio. Quando eliminamos a graça de Deus de nossa compreensão da salvação, como o elemento primário, a porta está aberta para todo tipo de confusão. Sobre a fé devemos entender:

  • A fé não é a base da salvação, mas o meio, o instrumento pelo qual
    nos apropriamos dela (Rm 3:21-22, 25, 31; Ef 2:8).
  • A fé não é autogerada. A fé também é um dom. Segundo o livro de Romanos, (10:17), “a fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus”.
  • A fé não é meritória (Ef 2:8-10). Para Ellen G. White (2004, p. 174),
    “mediante a fé recebemos a graça de Deus; mas a fé não é o nosso Salvador.
    Ela não obtém nada (Tg. 2:24). É a mão que se apega a Cristo e se apodera
    de seus méritos, o remédio contra o pecado.”
  • A fé não depende do seu tamanho, mas do seu objeto (Lc 17:6). Muitos, por exemplo, têm grande fé no dinheiro, em posições, na ciência,
    em prestígio, na aparência, no preparo acadêmico. Mas essa fé, grande
    como ela possa ser, nada vale para a salvação. A fé vale pelo seu fundamento, que deve ser única e exclusivamente a pessoa de Jesus Cristo, o
    seu autor e consumador (Hb 12:2).
  • A fé bíblica não está em oposição às boas obras. As únicas obras contra
    as quais a fé se opõe, são aquelas entendidas ou praticadas como método
    de salvação (Rm 3:20, 28). A fé não é contra a observância da lei, como
    alguns pensam. A fé se opõe à observância da lei como meio de salvação
    (Gl 3:1-5, 11). A lei deve ser observada como norma da conduta cristã,
    como a expressão da vontade de Deus, para aqueles que receberam sua
    graça.
  • A fé bíblica é basicamente “transferência de confi ança” (Hb 4:14-16).
    Aquele que confi ava em si, ou em qualquer recurso humano, passa a confi ar sem reservas em Cristo.

*Extraído de “O Incomparável Jesus Cristo”, p. 25 e 25, publicado pela Unaspress em 2011.